Domingo, 14 de Novembro de 2004

crítica: sky captain and the world of tomorrow

sky_captain.jpg

um filme de kerry conran
com jude law, gwyneth paltrow, giovanni ribisi e angelina jolie
estados unidos, 2004 imdb

de tempos a tempos lá surge um daqueles filmes da velha escola do "faz de conta", a mesma escola que, dos comics ao cinema, passando pela televisão e pela rádio, deu origem a aventuras inesquecíveis e heróis "bigger than life": flash gordon, dick tracy, luke skywalker, indiana jones... de tempos a tempos, lá conseguimos ir ao cinema e reencontrar o espírito e a inocência de outros tempos; entrar numa sala escura, abandonar qualquer contacto com a realidade e deixar o sonho levar a sua a avante... não é esse o maior fascínio do cinema?

entrar em sky captain and the world of tomorrow é exactamente isso. para nós gajos, é fazer de conta que somos o joe "sky captain" sullivan, justiceiro por conta própria, ás da aviação com direito a esquadrão privado, cujo ego não incha por mais vezes que ouçamos as sirenes de emergência (que significam, claro, que somos o único homem para o trabalho). e depois, é óbvio, apesar do pouco tempo que andar a salvar o mundo nos deixa, arranja-se sempre algum para o romance, sempre elegante - como nos velhos tempos -, agridoce ou picante, dependendo se estamos na companhia da repórter polly perkins ou da capitã franky cook, respectivamente.

para elas, gajas, presumo que a linha de raciocínio seja a mesma, com polly ou franky como ponto de partida, mas não me vou arriscar a especular ou ainda acabamos inundados com comentários jocosos sobre o pouco ou nada que sei sobre mulheres. seja como for, acredito que fazer de conta que se é uma repórter determinada prestes a cobrir a maior história da humanidade e dona do coração do herói dessa história, é uma bela fantasia. já para não falar na pragmática capitã franky cook, uma piloto destemida, muito dona do seu nariz e sem papas na língua… e que apesar da pala no olho, valham-me todos os santos, é a angelina jolie!

percebe-se, portanto, que fantasia é a palavra de ordem. daí que, se a fantasia não é o vosso forte, esqueçam... robots gigantes, estranhas máquinas voadores, armas indescritíveis e cientistas loucos chamados totenkopf, num filme onde a única coisa real são os actores porque tudo o resto é feito em computador... é de torcer o nariz, não é?... vejam a coisa por este prisma: lembram-se do major alvega? sky captain é isso, mas bem feito.

muito há-de ser dito sobre a parte técnica deste filme e ainda bem, porque o mérito é merecido, mas convenhamos que o hábil e inesperado trabalho do novato kerry conran merece também ser reconhecido. longe ainda de nos convencer sobre os seus dotes de realizador, a verdade é que o equilíbrio conseguido na mistura de géneros é fascinante. sky captain começa em tons de film noir, ganha contornos de sci fi, apanha o ritmo das melhores aventuras e, como mandam as regras, humor e romance, ao estilo dos anos 30 e 40, pontilham a narrativa e em glória coroam o último plano do filme.

não há nenhum grande golpe de originalidade em sky captain e é tudo feito by the book, das personagens à estrutura narrativa, mas o à-vontade e óbvio prazer dos actores na encarnação dos bonecos que lhe são atribuídos, bem como a modéstia do argumentista e realizador no decalque das suas influências, ajudam o espectador a deixar a descrença para trás e a tomar o lugar de joe "sky captain" sullivan no cockpit do avião rumo - se fosse eu - à plataforma voadora comandada pela angelina jolie (e o resto do mundo bem podia esperar).

(6/10)
marco

publicado por jorge às 22:22
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 18 de Novembro de 2004 às 06:19
a ideia do retro ci-fi cativa-me, mas não o suficiente. Lá esperarei pela versão em dvd.Conchita
(http://diariodeconchita.blogspot.com)
(mailto:conchita_marquez@aeiou.pt)


De Anónimo a 15 de Novembro de 2004 às 11:18
É bem, eu também gostei do filme, não gostei foi da actuação, se calhar foi demasiado exagerado todo aquele retorno aos anos 30. Agora Marco, pergunto-me é se essa pontuação não foi influenciada pela presença da menina Jolie :DPina
</a>
(mailto:filipe_pina@hotmail.com)


Comentar post