Quinta-feira, 26 de Agosto de 2004

crítica: revenge of the ninja

ninja.jpg

um filme de sam firstenberg
com shô kosugi, keith vitali e virgil frye
estados unidos,1983 imdb

fazendo uso deste espaço de liberdade opinativa que me foi gentilmente cedido pelo zombie-mor, gostaria de deixar expressas nas linhas que se seguem a admiração que tenho pelo bonito filme revenge of the ninja.

trata-se de um filme sobre ninjas à solta em los angeles, no inicio da década de 80, produzido pela cannon, com o real-life ninja sho kosugi como herói principal. acho que esta frase é mais do que suficiente para o caracterizar e para percebermos que estamos perante uma pérola cinematográfica - das grandes!

vingança de ninja, como ficou conhecido por cá, é o segundo capítulo da trilogia do ninja. o primeiro filme chamava-se enter the ninja e anunciava a chegada de um novo herói ao universo do cinema de artes marciais, não fosse o seu próprio nome uma clara referencia a enter the dragon que apresentou bruce lee como o novo ícone marcial na cultura ocidental.

assim apresentava-se o conhecido actor italiano franco nero no papel do herói-ninja, destacado para defender a bela susan george do vilão sho kosugi. devo confessar que a experiência de visionamento deste primeiro filme foi ao mesmo tempo divertida e tortuosa. no primeiro caso porque tive o imenso prazer de ver o mr.django himself vestido de ninja e a lutar como gente grande. tortuoso porque se trata de um filme de artes marciais repleto de cenas de acção mal construídas, feitas sem empenho, e onde as visíveis trocas entre franco nero e os seus duplos durante as mudanças de planos são o ponto mais baixo.

já o terceiro episódio da saga, baptizado com o nome ninja III: the domination, apresentava-se como um cocktail que misturava ninjas com possessões de espíritos malignos, onde sho kosugi interpretava o papel de um ninja-exorcista. o filme é claramente produto de uma noite de experiências com muitas drogas e alguns baldes ricos em álcool etílico. não obstante, se alguma vez imaginaram como seria ver a linda blair no exorcista, com uma espada de ninja na mão enquanto torcia o pescoço e vomitava sopa de ervilhas, então este será o filme indicado para preencher o vazio.

posto isto, chegamos então a revenge of the ninja - sem dúvida o melhor e o mais inspirado dos 3. o filme conta a história de cho osaki, um mestre ninjitsu que, depois de ver a sua família assassinada no japão por ninjas, é obrigado a fugir para os estados unidos na companhia do único filho que consegue escapar ileso ao massacre. já em terras do tio reagan, cho decide abrir uma loja de bonecas japonesas em parceria com braden, seu amigo de longa data. no entanto ao descobrir que a loja não passa de uma fachada para uma rede de importação de heroína, e confrontado com a traição do amigo, cho enceta uma campanha de vingança que só terminará com um derradeiro combate entre verdadeiros ninjas de barba rija.

feito com um baixíssimo orçamento, e realizado por sam firstenberg (o mesmo de o ninja americano, o samurai americano e muitas outras coisas destinadas a acabar no cano), o filme consegue reunir características capazes de o tornar irresistível para qualquer amante do melhor lixo cinematográfico. senão vejamos: temos vilões estereotipados saídos directamente das máquinas de jogos beat-em-up dos anos 80, dos quais se destacam cowboys assassinos, punks em patins ou mafiosos armados com metralhadoras; graciosas sequências de acção que desafiam constantemente as leis da física; a partitura musical à base de sintetizador utilizada em praticamente todos os filmes produzidos pela cannon nesta altura; um magnifico trabalho de actores, bons em muitas artes... excepto na representação. todos estes aspectos seriam provavelmente prejudiciais em qualquer outro filme, mas aqui servem de elementos contributivos para o puro deleite dos fãs dos ninjas e do mítico estúdio dos primos golan e globus. e mesmo que o supra mencionado constituísse um entrave para o exercício de recreação que é ver este filme, deparamos no entanto com a forma entusiástica com que as lutas são coreografadas (a anos luz do primeiro filme), o elevado empenho físico do próprio sho kosugi e a criatividade impressa na construção de algumas cenas de acção.

vingança de ninja é a prova de que o cruzamento entre o universo ninja e a cannon fez maravilhas em prol dos filmes de acção série b. e apesar de sho kosugi de ter participado nos 3 filmes da trilogia, foi aqui que mostrou definitivamente que quem se mete com o ninja lixa-se!

(6/10)
pedro

publicado por jorge às 23:56
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 2 de Setembro de 2004 às 12:24
E que grande paródia é o Ninja Americano. Michael Duddikof é muito boss (também não sabe representar, mas também não interessa).Bananita
(http://americantiger.blogspot.com)
(mailto:Bananita@bananita.pt)


De Anónimo a 28 de Agosto de 2004 às 18:24
mto legal o se blog. passa no meu
www.baladinha.zip.net* lylia
(http://www.baladinha.zip.net)
(mailto:liz@peretz.com.br)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28


.posts recentes

. o zombie faz hoje anos

. onde raio se meteu o zomb...

. o zombie não é surdo

. prémios lumière

. o zombie já viu: finding ...

. what about you, boy? you ...

. críticas de bolso: teenag...

. larry buchanan 1923-2004

. uma noite com ilsa

. críticas de bolso: night ...

.arquivos

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds